sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Cifras



Lembo-me da primeira vez que nos vimos, poderiam se passar mais 60 anos e eu ainda me recordaria, estava tocando piano na casa de chá de minha prima e você mexeu comigo pela janela de vidro, eu não entendia nada do que tentava me dizer, e não era apenas pelo fato deu estar paralisada em seus olhos, e então você escreveu na parte de traz de um anuncio de carros " Se você sorrisse, sua música seria mais bonito!", pensei em como você era abusado e tentei segurar o sorriso que apareceu espontaneamente em meu rosto.
Depois daquele dia minha musica, minha vida e meus sorrisos nunca mais foram os mesmo, você bagunçou todo o meu ritmo e me fez compreender melodias infinitamente maiores das que eu imaginava aprender. Te contei sobre os meus sonhos de estudar fora do pais, de ser pianista de uma grande orquestra e você me falava de como era incrível ter uma banda de rock. Em um dia tomávamos café antes das minhas aulas, em outros você buscava para almoçar, muitas pausas nos ensaios da banda, muitos gritos meus em seus shows, minha nossa como cada passo que dávamos era certeiro e perfeito, até mesmo no dia em que contamos ao meu pai que um neto estava por vir, hoje posso dizer que rio daquela enorme confusão, ele correndo a traz de você como gato e rato e duas horas depois sentado resolvendo as finanças para o nosso casamento.
Quando conto as pessoas como tudo foi musicalmente poético, elas não acreditam, pensam ser histórias de autores famosos, mas eu tenho fotografias escritas e beijadas de batom vermelho para ilustrarem as únicas partes dessa união.
Hoje sentada na frente desse piano em nossa casa de praia (resolvi a dois meses me mudar pra cá com minha sobrinha Aghata), penso em como todas as partes de nós foram dissolvendo em torno de mim, não tenho nenhum dos três filhos que esperei, a 20 anos não tenho você, não fui estudar fora do país mas as turnês em todos os grandes lugares que fizemos com sua banda são insuperáveis. Percebo hoje como dói saber que nunca cresci, mas como dói mais ainda saber que estou indo te encontrar novamente sem nada do nosso enorme amor para deixar ao mundo!

Tia Ana terminou de escrever sua carta e me entregou, lembro dela me pedindo para fazer uma cópia e guardar comigo e a outra deixar sempre com ela, independente do que acontecesse. Fui andando até o meu quarto enquanto ela tocava a música de sempre, a de quando se conheceram, em cada nota eu escutava um soluço dela, até que inexplicavelmente tudo se silenciou e o que eu ouvia era apenas o barulho do mar...ela tinha calado novamente as notas para encontra-lo do lado de fora da casa de chá.

2 comentários: